Resenha: Sombra e Ossos

Resenha Literária Fantasia Young Adult






Listas Música Playlists

04/08/2020

Resenha Literária
A Odisseia de Hakim #1 - Da Síria à Turquia
Fabien Toulmé


Autor(a): Fabien Tulmé | Título Original: L'Odyssée d'Hakim T01: De la Syrie à la Turquie
Editora: Editora Nemo | Ano: 2020 | Páginas: 272 | Skoob: Adicione | Compre: Amazon
nome do livroSinopse: "Nunca pensei que isso pudesse me acontecer. Mas me dei conta de que qualquer um pode virar um 'refugiado'. Basta que seu país desmorone. Ou você desmorona junto, ou você vai embora." A história real de Hakim, um jovem sírio que teve de deixar tudo para trás: sua família, seus amigos, seu negócio próprio, seu país. Tornando-se assim um "refugiado". Porque a guerra estourou, porque o torturaram, porque o país vizinho parecia capaz de oferecer-lhe um futuro e segurança. Um testemunho poderoso e comovente sobre o que é ser humano em um mundo, muitas vezes, desumano...

Ás vezes pode ser difícil definir um ponto exato de mudança na vida. Falar precisamente sobre algo que a tenha dividido em antes e depois. Podemos citar um acontecimento, uma tomada de decisão ou estimar mais ou menos a época - quem sabe fazendo cálculos de acordo com a idade. Algumas pessoas sequer passam por esse ponto de mudança, mas para Hakim, é muito fácil dizer a data exata em que a vida dele mudou para sempre: 15 de março de 2011. Esse foi o dia da virada. O dia em que seu mundo, todas as suas certezas e a vida que levava e amava virou de cabeça para baixo.

Esse foi o dia em que a guerra na Síria começou... e ela assombra o país até os dias de hoje, 9 anos depois.

17/07/2020

Aleatoriedades / Pessoal
Deixa acontecer naturalmente...


Como eu amo ter um blog!

Fico feliz em me sentar e começar a escrever um post novo. Amo arrumar o post e deixá-lo organizado, amo criar as composições, tirar e editar as fotos e escolher cada uma com carinho. Amo anotar ideias e ficar horas pensando sobre o que seria interessante falar por aqui. Amo, também, os detalhes: Desde arrumar cada pedacinho do blog a escolher as cores, o design, fazer ilustrações bonitinhas para compor o layout. Mudar o cabeçalho de acordo com meu estado de espírito, de acordo com minha fase.

Mas sabe o que eu não gosto?

Não gosto da pressão que eu mesma me coloco. Não gosto de me obrigar a fazer nada aqui. Não gosto de esperar demais para soltar um post que eu quero muito liberar logo simplesmente porque, na minha cabeça, não divulguei o anterior suficientemente. Não gosto, também, de me sentir tão insegura em fazer posts de assuntos que não são o nicho do blog, mesmo quando eu quero muito. A inspiração surge das coisas mais inesperadas, e ficar dentro de uma caixinha, ou seja, se limitar a um único assunto é tão sem graça e destrói a imaginação. É o melhor veneno para acabar com a criatividade.

Odeio o fato de me cobrar tanto por tudo, de querer tudo muito certinho, de achar que um blog tem que alcançar números, visualizações, comentários, para dar certo. 

Mas um blog que dá certo não é, simplesmente, um blog que é feito com amor? Um blog que tem por trás dele uma pessoa que ama o que faz, que ama estar ali, postando, escrevendo, compartilhando? Porque isso é um hobbie, oras! O errado é quando tudo isso deixa de ser satisfatório e passa a ser uma obrigação, motivo de frustração... Se não trás felicidade, se não há mais vontade e sim pressão, deixa de fazer sentido. 

Eu estou aqui para me divertir, e você?

A partir de hoje, não vou mais me limitar tanto por aqui. Se me der na telha fazer posts sobre qualquer assunto que eu queira, farei. Faz tempo que reprimo ideias, e agora isso não acontecerá mais. Por isso, vou deixar tudo fluir naturalmente. Não irei parar de falar de livros, porquê amo fazer isso! Porém, pararei de concretar minha criatividade como vinha fazendo desde que criei esse cantinho. Aguardem posts de temas variados por aqui!

Não será uma mudança tão crítica, mas espero que gostem da nova fase do blog.


Au revoir ♡

11/07/2020

Listas
3 livros que li mas não lembro


Sabe aqueles livros que não marca a gente de nenhuma forma, e, quando pensamos nele, nada nos vem à mente?! Nosso cérebro simplesmente achou que aquela informação não era suficientemente importante ou útil para ocupar espaço na memória – tanto é parece que sequer os lemos, mesmo que realmente o tenhamos feito. Isso já aconteceu com você? Pois saiba que não está sozinho e que é uma coisa normal.

Pois bem, eu estive pensando sobre isso enquanto olhava minha estante de lidos do skoob. Alguns livros que li anos atrás – três livros, para ser exata – praticamente sumiram da minha memória. Não consigo me recordar nada (ou praticamente nada) sobre eles, ao passo de que me recordo de muitos livros que li antes desses, mesmo quando ainda era criança. Não é estranho?

08/07/2020

Lançamentos Literários
Lançamentos literários de mai/jun 2020


Com a pandemia, quarentena, isolamento social aliado à má situação do mercado editorial, muitas editoras têm liberado menos lançamentos ou adiado alguns, o que é totalmente compreensível. Mesmo assim, em maio e junho houve bastante lançamentos! Inclusive alguns muito aguardados e comentados, como "A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes" e "Daqui a Cinco Anos". 

Confira abaixo alguns dos lançamentos de maio e junho:
  • Sabia que comprando os livros por meio dos nossos links ou clicando em nossos links e comprando em qualquer outra coisa na Amazon você ajuda o blog?!

03/07/2020

Resenha Literária
Todo Dia
David Levithan


Autor: David Levithan | Título Original: Everyday | Editora: Galera Record
País: Estados Unidos | Páginas: 280 | Ano: 2013 | Skoob: Adicione | Compre: Amazon
Todo DiaSinopse: Neste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrarem a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor.
A não tem gênero. E nem um corpo. Passa a vida se "hospedando" em pessoas de sua idade, mas nunca fica mais de 24 horas em um mesmo corpo. Ele (ou ela? Não se sabe, porém trataremos no masculino pois foi como decidiram traduzir no Brasil) não sabe o que é, nem porquê ou como isso acontece consigo. E já desistiu de tentar descobrir faz tempo. Ele apenas segue a vida com suas limitações, dormindo num corpo, acordando em outro. Quando deixou de se questionar e resolveu aceitar sua condição, criou regras muito importantes para si:

1) Nunca interferir.
2) Seguir a rotina.
3) Não criar ou romper laços.

E tudo vai bem... até ele acordar no corpo de Justin e conhecer Rhiannon, com quem imediatamente sente uma conexão gigantesca, jamais experimentada. E A faz o que prometeu que nunca faria: começa a quebrar suas próprias regras para encontrá-la todo dia.

30/06/2020

Projeto criativo "Fora da Caixa"
#5: Um sentimento... sobre o primeiro livro da minha amada (e ainda pequena) estante


Mais um mês, mais um post do Projeto Criativo Fora da Caixa! Para quem ainda não sabe do que se trata, é um projeto maravilhoso no qual eu e mais algumas blogueiras desafiamos nossa criatividade interpretando temas mensais das mais variadas e diferentes formas, exercitando, assim, nossa criatividade (confira todos os posts do desafio aqui). Para junho, o tema sorteado foi "um sentimento" e eu realmente não sabia sobre o que gostaria de falar. Poderia dissertar sobre o que tenho sentido em meio à pandemia e ao isolamento social, mas creio que já o fiz bastante nos dois últimos desafios do projeto (confira aqui e aqui). Continuei pensando sobre como faria esse post ao longo do mês, mas nada me vinha à mente.

Eis que dia desses, ao limpar minha estante, peguei o primeiro livro da minha coleção... e me veio, novamente, aquela velha conhecida sensação. O livro é o "Bem Mais Perto", da autora Susane Colasanti e ele sempre me desperta um sentimento especial não apenas porquê foi o primeiro da minha estante, mas por que há muitas coisas envolvidas além disso. Primeiramente, eu não o comprei e tampouco o ganhei de meus pais ou de um(a) simpático(a) conhecido(a) que tem conhecimento do meu gosto pelos livros. Não. Imprevisivelmente, eu estava em um dia de sorte e o faturei em um sorteio em um blog literário. Dá para acreditar? Imagine minha felicidade!